0

Emagreça de forma definitiva com a dieta mediterrânea

imagem 1

Se você está tentando emagrecer com certeza já deu uma pesquisada e encontrou várias dietas que prometem verdadeiros milagres. Dietas muito restritivas que realmente cumprem o que prometem e provocam uma perda de peso considerável em pouco tempo. O grande problema é que a grande maioria das pessoas quando desejam perder peso não se preocupam com a saúde. Dietas muito restritivas podem fazer muito mal e o resultado em longo prazo não é bom, pois quando chegam ao fim, todo o peso perdido volta também de forma bem rápida. Dê preferência às dietas saudáveis como a dieta mediterrânea que vamos abordar nesse artigo e emagreça com saúde.

Os estudos mais recentes confirmam que a dieta mediterrânea ou dieta do mediterrâneo é a mais saudável para o bom funcionamento do coração, mas também foi descoberto que a ingestão de alimentos saudáveis, que são a proposta dessa dieta, provoca a perda de peso.

O que é e c omo funciona a dieta mediterrânea

A dieta mediterrânea é baseada na forma de alimentação dos povos que vivem na região do mediterrâneo (Líbano, Itália, Turquia, Espanha, Marrocos, Grécia, Líbia e Egito). Esses são países que em um primeiro momento são bem diferentes culturalmente falando, mas o clima é bem parecido e consequentemente o tipo de alimentação. Saiba quais alimentos são consumidos na dieta mediterrânea:
• Frutas e hortaliças: São alimentos ricos em minerais, fibras, vitaminas e antioxidantes importantes na prevenção do câncer.
• Leguminosas: Alimentos ricos em proteínas vegetais e fibras. Previne doenças cardiovasculares e câncer no intestino.
• Cereais: Alimentos ricos em carboidratos, fibras, minerais, nutrientes e vitaminas. Garantem mais energia ao organismo.
• Oleaginosas: Alimentos ricos em gorduras do bem (poliinsaturadas e monoinsaturadas), Selênio e Vitamina E. Alimentos antioxidantes.
• Leite e derivados: Alimentos ricos em cálcio e previnem a osteoporose.
• Peixes: Alimentos ricos em ácidos graxos. Diminui o risco de doenças cardiovasculares, AVC, hipertensão, diminui taxas de glicerídeos, diminui taxas de colesterol e possuem ação antiinflamatória.
• Vinho: O vinho tinto possui em sua composição altas quantidades de flavonóides. Diminui os riscos de doenças cardiovasculares já que essa substância evita que placas de gordura se formem na parte interna dos vasos sanguíneos.
• Azeite de oliva: Alimento rico em ácido graxo monoinsaturado que auxilia o aumento do HDL (bom colesterol).
• Ervas de cheiro: Tempero que permite uma utilização bem menor de sal.

As carnes vermelhas e a gordura animal podem ser consumidas, mas em baixas quantidades e o vinho tinto deve ser ingerido no máximo uma vez por dia. Uma taça é o suficiente.

Alimentos que não são permitidos na dieta mediterrânea

Todos os alimentos industrializados (doces, farinhas, refrigerantes etc.) não são aconselhados, mas não há uma radicalização quanto a isso. A dieta permite o consumo desses alimentos em baixas quantidades.

Veja agora um cardápio semanal da dieta do mediterrâneo

imagem 2

Café da manhã
1 banana da parta
1 colher de sopa rasa de granola
1 xícara de café sem açúcar ou com pouco açúcar mascavo
1 maçã vermelha com casca

Lanche matinal
1 fatia de abacaxi ou de melão

Almoço
1 tigela pequena ou média de folhas e legumes todos crus
2 colheres de sopa cheias de arroz integral
1 filé de sardinha assado, cozido ou grelhado
2 colheres de sopa cheia de purê de abóbora

Lanche vespertino
1 taça de gelatina feita com suco de frutas natural. De preferência sem açúcar.

Jantar
1 fatia média de lombo assado
Um prato raso de salada de folhas verdes cruas
Duas medidas do pegador de macarrão integral

Ceia
2 ameixas frescas
A dieta mediterrânea é uma das mais fáceis de fazer. Não é tão restritiva, não te fará passar fome e também não colocará sua saúde em risco.